Passamos por momentos climáticos instáveis em todas as regiões do Brasil e do mundo. As chuvas se tornam menos frequentes em certas localidades, enquanto outras passam por períodos muito chuvosos, ocasionando em alagamentos e problemas para a população e órgãos públicos responsáveis por serviços como o abastecimento de água.

No meio deste cenário, a ONU, por meio de conferências sobre o meio ambiente e adotando uma agenda ambiental mais efetiva, discute as mudanças climáticas e alternativas para a preservação e uso consciente da água disponível no planeta.

Pensando nisso, listamos 5 medidas para garantir o abastecimento de água às populações. Confira.

1 – Racionamento

Racionar os recursos hídricos significa revezar a distribuição entre as regiões, como se fosse um “rodízio”. Essa é uma forma atípica e só é usada quando aquela determinada localidade já está sofrendo a falta de água. Pode ser positiva, pois reduz drasticamente o seu consumo, fazendo com que a população programe o uso e use somente o necessário, e possui um custo baixo, demandando apenas organização e poucos investimentos.

Por outro lado, as famílias de regiões mais afastadas podem ser mais prejudicadas do que as dos grandes centros, assim como a qualidade da água, devido ao esvaziamento e enchimento aleatório da canalização hidráulica.

2 – Reaproveitamento da água

Essa política pode ser adotada com o intuito de reuso da água em outras atividades, como nas indústrias e irrigação. A grande dificuldade para que essa prática seja adotada é que muitas pessoas são contra o reuso, alegando que os processos não resultam em uma água potável.

Vale ressaltar que essa é uma prática utilizada para diminuir o uso deste recurso natural tão importante, logo políticas como essa ajudam regiões e países a administrar a escassez e garantir o abastecimento de água.

3 – Mudança de hábitos

Mudar hábitos, apesar de difícil e demandar tempo, é a melhor forma de preservar o meio ambiente. Poupar recursos hídricos resulta de forma indireta na evolução dos reservatórios e mananciais, melhorando a preservação dessas localidades. Contudo, sabemos que é pequena a parcela da população que de fato é consciente e prioriza o consumo controlado de água para diversas finalidades, portanto órgãos governamentais devem intervir para que políticas públicas sejam praticadas, incentivando que a população tome iniciativa, o que acaba gerando custos e se tornando uma prática cujos resultados são demorados.

4 – Proteção de reservas e mananciais

Medidas para preservar reservas permanentes e hídricas foram muito pautadas nos últimos 10 anos, pois países do mundo todo perceberam sua real importância no combate às mudanças climáticas.

Despoluir fontes naturais e controlar o despejo de esgoto nesses lugares faz com que a região consiga suportar períodos mais difíceis e o ecossistema continue revigorado.

No entanto, como essa prática também se associa a uma mudança de hábito, o prazo pode ser longo e o custo governamental pode ser grande.

5 – Dessalinização

A dessalinização é uma estratégia que vem acompanhada da alta tecnologia e foi desenvolvida para que a água salgada seja transformada em água doce, possibilitando seu consumo. Esse processo faz uso de reações químicas com o objetivo de remover sais minerais provenientes da água do mar, tornando-a potável. Num primeiro momento, pode-se pensar que essa prática é a solução de todos os problemas, mas infelizmente não funciona dessa forma. Os custos operacionais para montar uma estação de tratamento requer muito investimento, sem contar que o prazo médio para construção de uma unidade é de 5 anos.

Existem diversas formas de prevenir uma crise hídrica ainda mais agravante, por isso é fundamental a conscientização de todos para preservar este recurso natural precioso. Pequenas ações ajudam e muito para o bem coletivo: não espere passar por um racionamento causado pela falta de abastecimento de água em sua localidade para sentir falta do que é necessário.

E você, consome água de forma consciente em sua residência? Tem interesse em se aprofundar sobre o tema e estudar Gestão Ambiental? Conte para a gente pelos comentários.

Comece a aprender antes mesmo do curso começar, com os e-books gratuitos sobre gestão Ambiental do blog Mercado em Foco!