As oportunidades são muitas, indo desde o comércio internacional até o jornalismo. Analistas financeiros, de planejamento e orçamento também são procurados.

A profissão de economista possui um amplo leque de opções: desde o trabalho em empresas de diversos setores (afinal, toda empresa precisa de um economista) até o empreendimento próprio. Suas funções variam conforme o setor em que estão trabalhando e o cargo que possuem.

Inicialmente, em posições de estagiário, trainee ou analista júnior, as oportunidades de trabalho para formados em Economia são mais operacionais. Com o passar do tempo, os economistas podem conquistar papéis de gestão e planejamento da empresa. Veja, a seguir, nove áreas com oportunidades de trabalho para formados em Economia.

1) Analista financeiro

Um analista financeiro faz o planejamento de toda a rotina financeira. Acompanha se os pagamentos foram realizados pelo banco e realiza conferências com notas fiscais. É responsável por analisar o fluxo de caixa e elaborar projeções de faturamento.

Além disso, deve estar atento a fraudes, falta de comprovantes e colaborar para melhorias no desempenho econômico e financeiro da empresa. Para essas atividades é preciso conhecer o sistema integrado de gestão financeira da empresa – um dos sistemas mais utilizados para esse propósito é o SAP.

2) Bancário

O bancário atua com atividades burocráticas e administrativas. É ele quem vende os serviços do banco, como consórcios e seguros. Ele também é responsável pela abertura de contas, liberação de empréstimos e financiamentos. O bancário realiza tarefas que exigem contato direto com o público, por isso, boa comunicação é essencial para essa atividade.

Caso a atividade desempenhada seja no caixa, o profissional também deverá receber pagamentos, fazer depósitos e transferências – atenção e precisão são palavras-chave para essa função.

3) Auditor

Os profissionais que seguem carreira como auditores realizam vistorias em empresas para verificar se as atividades e recursos estão dentro dos princípios morais, legais e de eficiência. No ramo público, o auditor ajuda na transparência e probidade da gestão dos recursos públicos – auxiliando na saúde financeira da empresa e no bem-estar social.

4) Economista jornalista

As atividades dos economistas que atuam no setor da comunicação envolvem manter um fluxo de informações econômicas para os públicos definidos de cada organização. A audiência pode ser muito específica, como no caso de revistas do setor financeiro ou da área de comércio exterior, ou pode ser mais abrangente, como no caso de programas de rádio e televisão. Nos programas de TV, esses profissionais acompanham decisões econômicas tomadas pelos governantes e elaboram análises críticas do cenário atual.

Taxa de desemprego, taxa Selic, altas e quedas no valor do dólar são alguns do assuntos mais comentados por esses economistas.

5) Empresa própria

No início do negócio, a maioria das tarefas serão de responsabilidade do dono. Com o conhecimento adquirido durante a universidade, economistas podem tornar-se bons empreendedores, pois conhecem técnicas de pesquisa de mercado, ambiente econômico e cenários mundiais.

Quando o economista consegue corresponder às demandas do setor com sua oferta, o negócio atrai o público e gera lucros. O salário de um empreendedor depende do seu trabalho e dos seus resultados, podendo variar de um salário mínimo a valores altos quando o negócio atinge sua maturidade.

Com o negócio próprio, o economista pode escolher a(s) área(s) que mais o interessam, mais o desafiam ou nas quais ele tem mais facilidade. Consultoria financeira, criação de orçamentos, análise econômica de projetos, inteligência de mercado e planejamento estratégico empresarial são apenas alguns exemplos.

6) Analista de políticas públicas

É seu papel implantar, supervisionar, coordenar, executar, monitorar e avaliar projetos. Esses projetos podem estar relacionados às áreas de finanças, esporte, educação, saúde e demais áreas. O principal objetivo desses projetos é auxiliar a população em áreas que precisam se desenvolver.

7) Comércio internacional

No mundo globalizado em que vivemos, é cada vez maior a necessidade de profissionais qualificados para planejar e promover negócios entre instituições de diferentes países. Além disso, o economista pode envolver-se em operações de exportação, importação e compliance (conformidade com leis e regulamentos).

8) Professores universitários

Professores universitários devem prepara aulas, trabalhos e provas para os seus alunos. Além disso, podem promover grupos de discussão, participar do colegiado de um curso e realizar pesquisas. Professores que também são pesquisadores podem realizar projetos conjuntos com seus alunos, dessa forma, é possível apresentar os resultados das pesquisas em congressos e simpósios.

9) Analista de planejamento e orçamento

Pessoas que trabalham no setor de planejamento econômico de uma empresa buscam informações sobre situações que ocorrem agora e que podem afetar nas vendas, nos preços e na oferta de matéria-prima nos anos seguintes. Essas informações são essenciais, pois auxiliam a diretoria a tomar decisões importantes, tais como a mudança de fornecedores, expansão de vendas internacionais, corte de investimentos etc.

As atividades listadas neste artigo são as principais atividades exercidas por cada posição. Existe uma variedade de atividades que podem ser demandadas do economista, variando de acordo com a área desejada. Por isso, cada profissional deve buscar oportunidades nos setores que mais o interessam, aumentando suas possibilidades de sucesso e satisfação no seu trabalho.

Quais oportunidades de trabalho para formados em Economia mais lhe interessaram? Compartilhe conosco nos comentários!

e-book-economia-negocios-de-impacto-social