O desenvolvedor front-end já foi conhecido como web designer e é o profissional responsável por projetar, construir e otimizar as interfaces. O desenvolvedor back-end é o web developer, o programador. É quem viabiliza o front-end de um site. O que cada um deve priorizar em sua formação?

A especialização educacional está em alta: a ênfase está em aprimorar competências e produzir resultados da maior qualidade possível, promovendo diferenciais competitivos. Assim como outros campos profissionais, a área de tecnologia da informação possui um vasto número de especializações, e conhecê-las bem é fundamental. Neste post, falaremos sobre front-end e back-end developers e sobre a importância da integração das áreas que desenvolvem sistemas para a Internet.

Front-end e back-end developers

O desenvolvedor front-end já foi conhecido como web designer e é o profissional responsável por projetar, construir e otimizar as interfaces de um projeto virtual para os usuários interagirem de forma fácil e intuitiva. Se você acessar um site bem construído, com um visual interessante, layout limpo, imagens bem selecionadas, pode saber que tem a participação de um profissional front-end. Ele é o responsável por criar códigos-fonte adequados e eficientes, e por desenvolver em forma de software a arquitetura da experiência de usuário. Fazendo uma analogia: é o responsável pelo design de interiores de uma casa que foi construída por um desenvolvedor back-end.

O desenvolvedor back-end é o web developer, o programador. É quem viabiliza o front-end de um site. Onde você acha que estão armazenados todos os dados do site? Como são criadas as funcionalidades? Tudo isso está nos bastidores. É aí que atua o profissional de back-end, fazendo com que um servidor, um aplicativo e um banco de dados se comuniquem. O desenvolvedor de back-end constrói e mantém a tecnologia dos componentes que são acionados por comandos na camada externa, visível para o usuário do site ou aplicativo.

Desvende a realidade do mercado de IoT (Internet das Coisas)


O que é necessário para ser um excelente devenvolvedor?

Primeiramente, é essencial dedicar parte da sua formação em sistemas para a Internet a ambas as áreas, afinal, é importante ter conhecimento tanto do campo front-end quanto back-end – eles estão conectados!

Para a formação do front-end developer:

  1. É fundamental conhecer os fundamentos do design, seus conceitos e as constantes inovações, ou seja, estar atento aos movimentos do mercado;
  2. Fala-se muito, atualmente, sobre a experiência do usuário ou user experience (UX) e o profissional precisa entender as técnicas para desenvolver sistemas que, de fato, atendam da melhor forma ao usuário final, tornando evidentes as formas de realizar as ações principais e secundárias. A preocupação com usabilidade, performance, identidade visual e compatibilidade com dispositivos (desktop, smartphone, tablet) tem grande impacto no sucesso de um sistema ou aplicação;
  3. Ter experiência com softwares de criação gráfica como as do pacote Adobe é essencial, mas tão importante quanto essas habilidades é conhecer técnicas como design thinking e ser criativo;
  4. É necessário estudar algumas linguagens como CSS, HTML, JavaScript; familiarizar-se com frameworks, como Bootstrap, Foundation, Backbone, AngularJS e EmberJS; bibliotecas como jQuery e LESS; estar a par dos padrões web do W3C, de forma a ser capaz de validar o design planejado, verificando a acessibilidade do site, seu desempenho ao carregar a página, a visualização das imagens nos diversos dispositivos, e principalmente se o design é responsivo;
  5. Possuir uma visão interdisciplinar, aliando conhecimentos de outras áreas como psicologia, publicidade, marketing, dentre outras.

A formação do back-end developer:

  1. Este profissional precisa conhecer bastante da arquitetura de um sistema, entendendo as necessidades de negócios das partes interessadas, traduzindo em requisitos técnicos e encontrando a solução ideal e eficiente para a arquitetura da tecnologia;
  2. Dominar linguagens como PHP, Ruby, Python, Java e .Net para construir um aplicativo; ferramentas como o MySQL, Oracle e SQL Server para localizar, salvar ou alterar dados e disponibilizá-los para o usuário no código front-end; frameworks PHP como Zend, Symfony e CakePHP; ter experiência com software de controle de versão como SVN, CVS e servidores como Linux;
  3. Possuir facilidade na escrita do código, de forma que produza algo limpo, bem documentado, dentro dos melhores padrões, principalmente com a atual relevância das APIs em relação à troca de dados entre dispositivos móveis, sites e outros sistemas conectados.

Os front-end e back-end developers são peças-chave para que qualquer negócio online permaneça competitivo – e o mercado de trabalho está aquecido! Porém, é preciso estar atento às constantes mudanças em relação às tendências e melhores práticas para manter-se atualizado.

O curso da UnisulVirtual tem ênfase na formação back-end, mas oferece uma base sólida em design. Acesse a página do curso EaD de sistemas para a Internet e saiba mais!