A abertura de uma empresa para atuação no mercado internacional tem uma série de impactos e implicações. Atualmente, para o reconhecimento completo de um empreendimento não basta que ele adquira apenas espaço e forte posição no mercado nacional.

Porém, ultrapassar as fronteiras nacionais não é tarefa simples e exige muito esforço, experiência profissional, autoconhecimento e poder de barganha na área em que o negócio estiver inserido.

Inserção no mercado internacional

Existe uma série de riscos que a empresa deve ponderar antes de resolver de se aventurar pelos mercados externos. No processo de internacionalização deve-se buscar os melhores meios e formas de inserir um determinado produto em outro país, e dessa maneira é necessário que se tenha amplo conhecimento sobre o próprio negócio, o mercado nacional no qual está inserido e o que pretende contemplar. Este processo deve ocorrer através de uma análise minuciosa dos ambientes internos e externos, através de pesquisas de nichos e mercados, competidores, produtos concorrentes, preços e vantagens comparativas. É preciso constatar-se o potencial de expansão da empresa, bem como identificar os pontos de melhoria e de principal ação que devem ser focados no momento. Durante este curso, a velocidade do crescimento organizacional deve ser condizente com a capacidade de lidar com as consequências e objetivos deste novo desafio de ampliação, e principalmente com a capacidade de suprimento das necessidades e características da população-alvo que deseja ser alcançada.

Alternativa para auxiliar o processo: marketing internacional

É nesta linha de atuação que o conhecimento sobre marketing internacional será uma ferramenta necessária, de inconfundível auxílio para o momento de definir e adotar estratégias visando a promoção de sua mercadoria em mercado externo. Este recurso é definido como um meio processual de planejar e implementar mudanças que resultem na ultrapassagem das barreiras nacionais e locais, para estabelecer relações que comtemplem os objetivos envolvidos. Ele está relacionado intimamente com pesquisa e análise de variáveis que serão determinantes para a inserção da instituição no mercado escolhido.

banner-GTI-01

O volume de produtos que será ofertado, o entendimento e estudo da melhor forma de transporte e realocação do processo produtivo, o relacionamento com o consumidor local, suas preferências e principais características e a reação do ambiente externo à entrada de um novo concorrente são decisões que precisam ser tomadas e este é o ramo que as define. Trabalha com os meios econômicos, políticos, sociais, culturais e organizacionais, bem como aponta e elenca as particularidades que devem ser atentadas e observadas do país e da população que a empresa deseja conquistar.

Fique atento ao fator cultural

A cultura deve ser relevada de forma primordial no processo de planejamento da inserção da organização em mercado externo. Isso porque cada país possui seus costumes, valores, hábitos, crenças e atitudes próprios, e antes de definir um programa de marketing, os vendedores precisam se utilizar destas variáveis para analisar a maneira como os consumidores se utilizam do produto ofertado. A cultura irá apontar a necessidade e o sentido que se deverão personalizar os produtos e serviços de acordo com as características e prioridades dos compradores do novo ambiente de atuação, auxiliando na definição das estratégias comerciais.

Já está preparado para se aventurar pelo mercado externo? Sabe de mais dicas que facilitam este processo? Comente aqui!