Saiba quais áreas de formação são mais indicadas para trabalhar com análise forense de sistemas.

Diariamente, surgem novas modalidades de crimes virtuais mais sofisticadas e complexas, desafiando as autoridades que tentam levar os criminosos à justiça e as empresas que precisam investir na segurança de seus dados para proteger seus usuários.

Com isso, a demanda por pessoas capacitadas em análise forense de sistemas cresce de forma expressiva, tanto no setor público quanto no privado.

Qual a melhor formação para trabalhar com análise forense de sistemas?

O forense computacional geralmente vem das áreas de Tecnologia da informação ou Direito. Qualquer uma dessas opções servirá como uma boa base para aprofundar os conhecimentos específicos de uma pós-graduação.

Profissionais formados em Direito

Os profissionais formados em Direito terão uma base sólida relacionada aos conhecimentos legais e às aplicações de cada lei vigente no país. Eles encontrarão na especialização em Crimes Cibernéticos a possibilidade de ampliar seus conhecimentos legais relacionados aos crimes digitais.

É importante que o profissional escolha uma instituição com tradição no ramo da Tecnologia da Informação, e que conte com professores especializados que darão os alicerces que o forense computacional precisa para aplicar seu conhecimento legal na área digital.

A Unisul tem um vasto conhecimento na área de Tecnologia da Informação e oferece diversos cursos reconhecidos pelo mercado, tornando-se, assim, a melhor opção para os formados em Direito que buscam ingressar no ramo de análise forense de sistemas.

Profissionais formados em Tecnologia de Informação

Já aqueles com formação em Tecnologia da Informação terão uma base sólida no que se trata de hardware, software e meios digitais como um todo. Ao ingressarem na especialização em Crimes Cibernéticos, ampliarão seus conhecimentos relacionados a Direito, legislação relativa a crimes digitais e técnicas de investigação.

O profissional que tem interesse em ingressar na área de análise forense de sistemas precisa ser versátil e conhecer os dois mundos: a parte do Direito, que lhe dará a base para as relações entre ocorrências e punições aplicáveis, e a de Tecnologia de Informação, que lhe possibilitará investigar da melhor maneira o ambiente virtual e impedir que crimes aconteçam.

Objetivos do curso de especialização em Crimes Cibernéticos

Além de capacitar os profissionais para trabalharem com forense computacional, o curso de especialização em Crimes Cibernéticos da Unisul lhes dá o conhecimento para análise de mídias, prevenção e recuperação de dados, elaboração e análise de laudos periciais. Assim, eles estarão aptos a trabalhar em diferentes vertentes da análise forense de dados.

Além disso, o curso capacita os profissionais nos fundamentos de crimes cibernéticos e fornece as informações necessárias para a análise da teoria do delito e do processo penal constitucional, com enfoque no meio cibernético. As diferenças entre Direito Público e Privado e Direito no Meio Cibernético também serão abordadas.

As técnicas forenses terão foco na especialização, principalmente o que tange ferramentas de automação de análise e aplicação de processos de forense computacional, focando na criação de estratégias de investigação.

Por ter um foco mais dinâmico e voltado para o mercado de trabalho, o curso conta com matérias como Fundamentos da Ciência Forense e Forense Aplicada a Crimes Cibernéticos, dando ao profissional as ferramentas necessárias para executar perícias digitais em máquinas, mídias e sistemas.

Independentemente de sua área formação, a especialização da Unisul dará todo o conhecimento necessário para trabalhar com análise forense de sistemas e ingressar nesse mercado em franca expansão.

Acesse o site do curso e conheça mais sobre a pós em Crimes Cibernéticos. Ela é ofertada na modalidade  a distância e tem duração de 18 meses, com uma carga horária de 360 horas e possibilidade de pagamento em até 33 vezes!