Conheça as principais classificações de Data Centers e elabore um projeto de sucesso para a sua empresa!

Antes de construir um Centro de Processamento de Dados na sua empresa, é necessário conhecer as principais estruturas, normas e classificações de Data Centers existentes, para adequar esse novo empreendimento ao negócio.

Acompanhe o nosso post e saiba tudo sobre as classificações de Data Centers!

O que é um Data Center?

Os Data Centers ou Centro de Processamento de Dados são estruturas feitas especialmente para concentrar todos os equipamentos de armazenamento, servidores e roteadores, entre outros ativos de rede, em um só lugar.

Existem várias classificações de Data Centers e elas são fundamentais para o funcionamento de empresas de diversos setores, como energia e abastecimento, telecomunicação, etc.

As Classificações de Data Centers de acordo com a Certificação TIER

A Certificação TIER foi criada para descrever os níveis de exigências e as estruturas requeridas em cada tipo de local de processamento de dados, baseados nas classes crescentes de redundância utilizados.

A variação das classificações de Data Centers começa no TIER I, com as estruturas mais simples, e podem chegar ao TIER IV, com as mais complexas.

  • TIER I: esse é o primeiro nível estrutural de um Data Center. Nele, não são necessárias as preocupações com serviços mais complexos de processamento. Para a manutenção, é necessário realizar o desligamento do sistema, afetando a distribuição e os sites hospedados nele.
  • TIER II: neste nível secundário das classificações de Data Centers, existem alguns sistemas mais complexos de processamento e redundância, mas ainda é necessário desligar todo o sistema para manutenções.
  • TIER III: este é o nível em que as operações são feitas sem a necessidade de desligar todo o sistema. As chamadas “manutenções concorrentes” não retiram os sites hospedados do ar por completo. Aqui, apenas algumas funções são desabilitadas e podem ocorrer algumas falhas de operação durante o processo.
  • TIER IV: este é o nível máximo de capacidade dos Data Centers. Nos centros de quarto nível é possível realizar manutenções ou, até mesmo, interrupções de alguns sistemas ou caminhos, sem alterar o processamento de dados. Apenas as operações sigilosas são retiradas do ar para não correr risco de perda de dados ou vazamento de informações.

Data Center Modular

As classificações de Data Center modulares ganham um destaque especial entre os profissionais de TI. Sua estrutura, composta por blocos, é exatamente o que as empresas precisam para expandir sua capacidade gastando menos dinheiro.

A implementação e a expansão do projeto inicial do Data Center se tornam muito mais práticas e rápidas, o que reduz os custos para a empresa e torna os sistemas mais confiáveis.

No projeto desse tipo de Data Center, as “peças” são encaixadas de acordo com a função principal e a necessidade da empresa, o que deixa o ambiente mais organizado, facilitando nas manutenções, reformas e expansões.

Como deve ser o planejamento desse espaço?

Um dos maiores desafios para os profissionais de TI é o planejamento desse tipo de estrutura. Planejar da forma correta, seguindo as classificações de Data Centers, significa colocar em prática algo que beneficiará a empresa durante muitos anos, mesmo com a necessidade de futuras adequações.

O planejamento físico precisa ser feito com quatro estruturas de objetivos principais: energizar, resfriar, abrigar e proteger os sistemas de TI.

Sistemas elétricos

O sistema elétrico é a parte mais sensível de um Data Center, porque a estrutura precisa ter uma boa alimentação para manter ativos os sistemas de TI e os equipamentos de ar-condicionado que resfriarão o local.

Portanto, nessa parte do planejamento, devem ser considerados os fatores como as quedas de tensão, o agrupamento, a temperatura e a proteção do local.

Sistema de climatização

Outro sistema que deve ser planejado cuidadosamente é a climatização do Data Center. A refrigeração por meio de aparelhos de ar-condicionado deve ser planejada de forma que existam corredores de ar frio e quente, o que otimiza o resultado e minimiza o impacto nos custos de manutenção e energia.

Cabeamento e telecomunicações

Durante a elaboração do projeto, é possível calcular os gastos com os melhores cabos para cada caso e, também, os meios de instalação no ambiente, buscando diminuir a perda de energia.

Existem muitos outros pontos que também precisam de atenção na elaboração do projeto de um Data Center. Entre eles, podemos ressaltar a escolha dos fusíveis ou disjuntores, a distribuição dos circuitos, os sistemas de proteção contra surtos de origens atmosféricas ou sistema DPS, os no-breaks ou equipamentos UPS, os geradores de energia alternativa e um pára-raios eficiente.

Segurança física e prevenção de sinistros

Finalmente, o último item considerado de grande importância para o planejamento de um Data Center é a segurança do local, seja ela pelo controle de acesso ou pela prevenção de sinistros.

Devem ser incluídos no planejamento de um novo Data Center sistemas de autenticação, biometria e identificações eficientes para manter a segurança de todos os dados do sistema. É recomendado também o uso de softwares de gerenciamento dessa infraestrutura, baseados em redes de dados por protocolos, como o SNMP.

O planejamento de detecção e combate a possíveis incêndios em um Data Center deve ser realizado de forma eficiente, para que não haja danos aos sistemas não atingidos e o funcionamento possa ser retomado de forma rápida.

É necessária a utilização de sistemas de sensores capazes de detectar o menor sinal de alteração de temperatura ou fumaça. Existem, também, alguns equipamentos especializados em combate a incêndios em Data Centers, com produtos desenvolvidos para não danificar os sistemas ativos. Um exemplo é o Novec 1230.

Redundância

Os sistemas de redundância têm o objetivo de manter os dados em caso de falhas de hardware, software ou humana ao longo do processo de gerenciamento dos dados.

Elas são comuns em casos de queda de energia, problemas na alimentação, nos discos rígidos, nos softwares ou comandos errados.

Para corrigir esses erros ou perdas de dados, são utilizados os sistemas redundantes, que podem ser em forma de discos rígidos e placas de rede montadas em RAID ou a utilização de Clusters.

Quando utilizados os sistemas de redundância, as probabilidades de falhas de rede ou a perda total de dados, chamadas de desastres, são reduzidas drasticamente. Deixar de aplicar esses métodos de recuperação e na manutenção do sistema pode aumentar as chances de falhas e o Data Center ficar parado. Isso significaria um prejuízo enorme para a sua empresa.

Gostou de conhecer as classificações de Data Centers? Complete seus conhecimentos com o nosso e-book gratuito Infraestrutura de TI como serviço: como você e sua empresa podem ganhar com isso!