Se em em um cenário estável a visão estratégica é um fator determinante na profissão, em tempos de instabilidade mais do que nunca é necessária uma formação à altura das mudanças que o país precisa: de gestores de produção industrial competentes, com conhecimento acima da média, grande capacidade de liderança e particular vocação para gerar novas ideias.

Habilidades naturais devem ser devidamente desenvolvidas

Melhorar a qualidade e a produtividade industrial, no entanto, é uma aposta que requer algumas qualidades bastante específicas, que devem ser cuidadosamente trabalhadas e desenvolvidas em cursos de qualificação. Afinal, é preciso reconhecer e identificar oportunidades de negócios, coordenar equipes, ter conhecimentos de logística industrial, diagnosticar e otimizar fluxos de materiais e ainda compreender os impactos ambientais do uso de suas tecnologias, não só como forma de estar amparado pela lei ,mas pela conscientização da importância da preservação do meio ambiente no processo de produção industrial.

É sempre bom lembrar que o campo do gestor de produção industrial é vastíssimo, podendo atual em qualquer segmento, sendo automobilístico, alimentício, siderurgia, telefonia, energia, hospitalar, têxtil ou de abastecimentos. Dessa forma, seja na área de produção ou de serviço, as habilidades naturais devem ser devidamente desenvolvidas e trabalhadas para as necessidades específicas do setor.

Coordenação e gerenciamento de equipes 

Ter liderança e autoridade carismática, saber tomar decisões e distribuir funções, principalmente em equipes de gestão de qualidade, manutenção, industrial, sustentabilidades, equipes multidisciplinares para desenvolvimento de produto e planejamento de produção. Outras habilidades incluem:

  • Facilidade de relacionamento – Ter boa habilidade nas relações interpessoais com equipes e parceiros de negócios, facilidade de negociação, convencimento, comunicação e motivação de equipes, calma para lidar com conflitos e situações inesperadas e flexibilidade para lidar com todos os níveis hierárquicos.
  • Boa cultura corporativa ou organizacional – Facilidade para compartilhar do sistema de valores da empresa inserindo-se no conjunto de características valorizadas pela organização, sendo, também, capaz de se tornar um agente de mudança combatendo maus hábitos e vícios que impedem o crescimento da empresa.

Visão global e visão estratégica

O profissional de produção industrial deve conseguir ver e identificar as partes e os aspectos específicos do negócio, mas também o todo, suas características, implicações, meios de controle de qualidade, a parte que compromete a integralidade do conjunto. Para isso ele precisa ter noções de logística, estoque, tipos de materiais, tecnologia, tendências mundiais, gestão de pessoas, gestão de processos e custos operacionais.

Estes, entre tantos outros aspectos, são essenciais para a formação do gestor de produção industrial, que pode assumir funções de coordenador, supervisor, gerente ou analista de manufatura industrial. Também pode atuar como gestor de áreas relacionadas à produção industrial, consultor de processos industriais, programador de produção, diretor de operações, gerente de qualidade, enfim, a área é imensa e, mais do nunca precisa de profissionais competentes e bem capacitados para alavancar o setor. Afinal, contribuir para o futuro da produção industrial brasileira é ter participação ativa no processo de crescimento econômico e social.

É preciso reconhecer e saber utilizar os recursos disponíveis para definir metas e atingir objetivos, assim como analisar pontos fortes e fracos da concorrência e saber a melhor hora de agir em relação a eles.

Raciocínio lógico

Ter facilidade para compreender, visualizar e utilizar números, organizar dados, planilhas e estatísticas, desenvolver estudos, medir desempenhos, encomendar pesquisas e demonstrar resultados.

Bom conhecimento de inglês 

Fluência em pelo menos um idioma além do português, no caso o inglês, é indispensável para que possa buscar atualizações importantes em publicações, além de ter facilidade para comunicar-se com clientes e fornecedores estrangeiros, participar de eventos de importação e exportação, congressos, feiras e oportunidades em geral que signifiquem avanço, tanto no networking quanto para a empresa como um todo.