Os custos com logística no Brasil – incluindo transportes, gastos com gestão de estoque, suprimentos, armazenagem e administrativos – chegaram a 11,5% do PIB no ano passado, com grande aumento em relação a 2010. Todas essas atividades devem estar integradas nas etapas de abastecimento e de distribuição.

Conhecer as ferramentas de planejamento e controle da produção para aplicá-las na melhoria da logística industrial de suporte à empresa é fundamental para um gestor de produção que busque o sucesso na carreira.

O trabalho do gestor de produção industrial

Esse profissional é um dos responsáveis por encontrar o gargalo de produção  – o ponto fraco do sistema – e depois disso, otimizar estocagem e fluxo de produtos. A indústria perde diariamente por produzir o que não é necessário, pela complexidade nas operações, por movimentações desnecessárias, por layouts confusos, por excesso de estoques, entre outros fatores.

O gestor de produção industrial, com os conhecimentos adquiridos ao estudar o tema, pode evitar que esses problemas tomem conta do orçamento de uma organização. Uma das formas é determinando o que será produzido em função do que há para ser entregue e também definir o que deverá ser comprado. Em outras palavras, a indústria vai trabalhar com menos estoques – e menos estoque significa mais velocidade e melhor atendimento.

Conhecendo os diferentes sistemas de logística industrial

Nas disciplinas de gestão da cadeia de suprimentos e distribuição, o estudante entra em contato com temas relacionados a sistemas produtivos, como produção empurrada e produção puxada, planejamento e controle da produção e até modelo de estoques de reserva. Estudando essa etapa da gestão, é possível perceber que a área tem papel estratégico para as indústrias de manufatura conseguirem vantagens competitivas. Algumas delas acabam esquecendo da importância do fluxo de materiais e de informações que acontecem nas suas unidades. Se o gestor de produção consegue enxergar isso, pode ajudar a indústria a economizar capital e tempo e aumentar o poder de competição.

Isso significa que a o gestor industrial precisa planejar e controlar estoques de insumos e matérias-primas e sistematizar o planejamento da programação e o controle da produção. Esse profissional não pode esquecer, é claro, de controlar o fluxo de estoques em processo e as embalagens dos produtos acabados. Ao aplicar boas práticas de logística industrial em uma organização, o gestor de produção ajudará a:

  1. Evitar a complexidade dos processos
  2. Diminuir movimentações desnecessárias (tanto de máquinas e produtos quanto de pessoal)
  3. Produzir ou fornecer exatamente o que o cliente quer (e na quantidade correta)
  4. Otimizar o espaço
  5. Economizar energia, diminuindo operações improdutivas
  6. Controlar erros e produtos defeituosos
  7. Diminuir o desperdício de insumos
  8. Evitar o excesso de estoque e pessoal
  9. Otimizar o tempo, evitando atrasos, falta de informações, atrasos na expedição e paradas imprevistas

Considerando toda a cadeia de suprimentos, a logística industrial deve ser o ponto de partida de todo o processo logístico e tem se tornado o elemento decisivo na diminuição de custos operacionais e conquista de vantagens competitivas.