Hoje em dia praticamente qualquer tipo de negócio depende de softwares que funcionam em rede. Pensando nisso, criamos este artigo, para você entender as 5 medidas que os desenvolvedores devem tomar para garantir a segurança da informação no projeto de softwares. Confira!

A qualidade de um software pode ser mensurada de várias formas. Podemos analisar, por exemplo, a sua estabilidade, interface gráfica, processamento etc. Mas existe um fator que se sobressai dos demais: a segurança. Mais do que qualidade, esse fator dita a confiabilidade do software. E numa época em que os ataques cibernéticos crescem a níveis alarmantes, desenvolver sistemas altamente seguros e confiáveis é fundamental.

E os desenvolvedores, por sua vez, precisam se atentar a esse fato e oferecer softwares corporativos livres de brechas de segurança, que afetam as empresas, os profissionais que trabalham nela e os clientes. Para isso, eles devem implementar processos de segurança e seguir as boas práticas de desenvolvimento. No post de hoje, falaremos mais sobre o papel da segurança da informação na criação de softwares, confira!

A importância da segurança da informação no projeto de softwares

Hoje, as empresas dependem de softwares para realizar uma série de atividades, como gerenciar finanças, cadastrar clientes, acompanhar as tarefas realizadas pela equipe, entre muitas outras. E como todas elas geram dados, que são cruciais para a continuidade das operações, os gestores não podem nem pensar na hipótese de um software ser invadido, perdendo o controle de suas atividades e roubando informações sigilosas e de seus clientes.

No caso do roubo dos dados, os cibercriminosos podem apagá-los ou vendê-los para outras organizações, a fim de obter algum lucro. Isso gera inúmeros prejuízos para a empresa, já que, sem dados e software, ela não pode atender a seus clientes, dar continuidade às operações e criar novos produtos ou serviços.

A curto prazo, esses problemas a fariam perder recursos financeiros e importantes vantagens competitivas. A longo prazo, sua reputação corre o risco de ficar manchada no mercado, já que os clientes, acionistas, investidores e o público em geral saberiam que a empresa foi alvo de um ciberataque, o que mostra sua vulnerabilidade. Considerando esses aspectos, os desenvolvedores de software não podem deixar a segurança da informação em segundo plano, devendo priorizá-la na hora de criar soluções para as empresas. 

As medidas que os desenvolvedores devem tomar

Das primeiras etapas de desenvolvimento até a fase de implementação do software, as boas práticas de segurança desempenham um papel extremamente importante. Graças a elas, os usuários do sistema poderão desempenhar suas atividades com total segurança, sem risco de suas informações serem roubadas. Entre as principais medidas que o desenvolvedor de software deve tomar, podemos destacar:

1) Proteger o ambiente de desenvolvimento

A primeira medida para criar um sistema confiável é desenvolvê-lo em um ambiente seguro, tanto físico como virtual. O desenvolvedor deve contar com ferramentas de segurança e controlar o acesso aos servidores locais e/ou à nuvem (cloud computing).

2) Revisar o código em busca de brechas

O desenvolvedor deve revisar constantemente o código em busca de brechas que possam ser utilizadas pelos cibercriminosos para tomar o controle do software. Ele também deve fazer testes de segurança e atualizações, para garantir que o software resista aos tipos de ataques mais atuais.

3) Transferir e armazenar os dados de forma segura

Na transferência de dados de um servidor local para a nuvem, por exemplo, o desenvolvedor deve criptografá-los. Já no armazenamento, é preciso utilizar servidores altamente confiáveis, tanto locais como de provedores de cloud.

4) Utilizar técnicas de programação defensiva

As técnicas de programação defensiva têm por objetivo reduzir a vulnerabilidade do software e garantir a sua segurança e estabilidade. Elas devem ser usadas desde as primeiras fases de desenvolvimento até as de finalização – são medidas preventivas!

5) Criar planos de resposta à incidentes

Os planos de resposta servem para tratar incidentes que ocorrerem após a implementação do software, como bugs e falhas. O desenvolvedor deve planejá-los antecipadamente e estar pronto para utilizá-los quando forem detectados quaisquer problemas.

Essas são apenas algumas das incontáveis medidas a serem tomadas por todo profissional especializado em segurança da informação no projeto de softwares. Se ele permanecer atento às ameaças que surgem e adotar as melhores práticas de segurança, certamente conseguirá desenvolver um sistema corporativo altamente seguro, que cumpra sua principal função: auxiliar as empresas em suas atividades e fazê-las obter melhores resultados.

Gostou deste conteúdo? Que tal conhecer nossos cursos de graduação a distância?