Você sabe o que é compressão de áudio e vídeo? É a tecnologia que torna possível a execução e armazenamento de arquivos multimídia em PCs, celulares e tablets.

Os usuários de internet consomem cada vez mais conteúdos multimídia. Estima-se que o formato audiovisual será responsável por 80% do conteúdo online até 2020.

No entanto, os arquivos costumam ser pesados e podem não rodar com facilidade em todos os equipamentos ― por isso, é essencial entender o que é compressão de áudio e vídeo.

Para trabalhar com audiovisual, o profissional precisa entender como funciona a compactação de arquivos multimídia. Nesse post, você saberá o que é compressão de áudio e vídeo e por que é tão importante fazê-la.

Afinal, o que é compressão de áudio e vídeo?

É a redução de um grande volume de dados de um arquivo para que ele ocupe menos espaço na memória de um dispositivo ou exija menos da banda larga de transmissão. Ela pode acontecer com ou sem perdas, embora a maioria elimine alguns detalhes quase imperceptíveis.

No entanto, quanto maior a compressão de áudio e vídeo, menor a qualidade.

Veja como cada tipo de compactação funciona:

Compressão de áudio

Na compressão de arquivos de som, o software reduz ou simplifica a repetição de bits e elimina dados considerados imperceptíveis ao ouvido humano.

Para reproduzir um formato de áudio em um determinado dispositivo, você deve selecionar um codec, programa que codifica e decodifica o arquivo multimídia.

Resumindo, ele compacta o arquivo em um formato menor e o descompacta, transformando-o novamente em som quando o usuário deseja ouvi-lo. No entanto, um mesmo codec não servirá para todos os tipos de compressões e decodificações.

O arquivo padrão de armazenamento de áudio em computadores (WAV) é muito pesado por ter desde os dados essenciais até os desnecessários para a manutenção de sua qualidade. Isso ocorre porque ele transforma em informações os sons que são não percebidos pela nossa audição. Os codecs retiram esses dados menos importantes e oferecem um formato de qualidade, que pode ser reproduzido na grande maioria dos players.

As técnicas modernas exploram a percepção do ouvido humano e fornecem uma compressão que, aparentemente, não sofreu perda alguma. As mais populares são:

  • FLAC (Free Lossless Audio Codec; compressão sem perda): ao contrário da grande maioria, não elimina nenhuma informação do arquivo de som, mas pode reduzir em até 50% o tamanho. Apesar da diminuição, pode ser até dez vezes mais pesado que o formato MP3;
  • ALAC (Apple Lossless; sem perda): compressão de dados de áudio produzida pela Apple;
  • MP3 (MPEG-1/2 Audio Layer 3; com perda): o mais popular formato de compressão de áudio diminuía o tamanho do arquivo consideravelmente e, mesmo assim, mantinha sua qualidade. Ele foi oficialmente descontinuado em 2017, mas ainda é muito popular;
  • Ogg Vorbis (com perda): formato de áudio que oferece menor taxa de bitrates e mais qualidade que o MP3. Ele se divide em duas partes, o Ogg, responsável pelos metadados do arquivo, e o Vorbis, codificador que comprime as músicas;
  • AAC (com perda): projetado para ser o sucessor do MP3, o AAC é o formato padrão para a execução de áudios em equipamentos como iPhone, iPad e PlayStation 3.

Compressão de vídeo

Da mesma forma que o áudio, a compressão de vídeo envolve reduzir o tamanho do arquivo, mas, nesse caso, removendo as partes que já foram projetadas.

Quando ocorre sem perdas, nenhuma parte dos dados é descartada da imagem.

Já na compressão com perda, os bits são descartados de maneira seletiva. Uma das formas de fazê-lo é diminuir o número de frames, que costuma ser o mesmo da televisão (30 por segundo).

Depois de compactado, cada tipo de vídeo utiliza um conjunto de codecs específicos. Alguns dos formatos de compressão mais populares são:

  • MKV (Matroska Video): muito utilizado para vídeos de alta resolução, o MKV oferece uma eficaz compressão e mantém a qualidade. Para que isso ocorra, o codec encapsula as trilhas de áudio, vídeo e legendas em um único contêiner;
  • MPEG (Moving Picture Experts Group): definido pela ISO como formato padrão de compressão de vídeos, ele pode variar entre MPEG-1 (para VCD), MPEG-2 (DVD) e MPEG-4;
  • AVI (Audio Video Interleave): da mesma forma que o MKV, o AVI encapsula áudio e vídeo em um mesmo contêiner. Com isso, ambas são reproduzidas de forma sincronizada. Como foi produzido pela Microsoft, o formato é facilmente rodado em Windows e reconhecido por aparelhos de DVD e Blu-Ray que são compatíveis com o codec DivX.

Por que a tecnologia de compressão de áudio e vídeo é importante?

Além de ocupar menos espaço, tanto o download quanto o upload de um arquivo comprimido demoram bem menos tempo. Isso facilita bastante quando você deseja postar algum arquivo de vídeo nas redes sociais.

A compressão de áudio e vídeo também permite que as transmissões via streaming sejam viáveis. Sem ela, YouTube, Instagram, Facebook, Vimeo, Spotify e Netflix não teriam a popularidade de hoje.

Entendeu o que é compressão de áudio e vídeo? Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário!