Pessoas que decidem incorporar habilidades de comércio exterior no seu currículo ganham em diferenciação e ajudam a empresa em que trabalham a desenvolver seu mercado externo.

Com uma sólida formação para Comércio Exterior você consegue aprender as diferentes etapas de negociação para atuar no cenário internacional e criar habilidades buscadas nos profissionais que trabalham nessa área.

Uma pessoa que cursa Comércio Exterior passa a enxergar oportunidades que antes achava serem impossíveis. Ela consegue projetar a exportação de determinados produtos e enxerga o mercado como sendo algo global. Conheça mais algumas habilidades e características que o aluno pode aprender no decorrer do curso.

Estudar detalhes da cultura com quem se negocia

Pessoas que querem ter como carreira a profissão de Negociador Internacional precisam ter paixão por conhecer outras culturas. É indispensável entender como compradores de outras nacionalidades pensam para saber a melhor forma de conduzir a negociação.

Ser integrador de culturas

Não é tarefa fácil negociar com pessoas de outras culturas. Para isso, um negociador internacional deve buscar o que há de parecido com sua cultura na de outras pessoas. Pessoas que focam apenas nas diferenças tendem a ter mais dificuldade de entender como o pensamento alheio funciona. Por exemplo, no caso dos brasileiros é comum atrasar alguns minutos para começar uma reunião, para os europeus é imprescindível começar na hora marcada. Ao invés de entender isso como um problema, é preciso adaptar-se.

Estar aberto e se atualizar

Leis de importação podem se modificar em pouco tempo. É necessário se manter atualizado para cumprir as exigências do país comprador. Essas modificações podem variar em necessidade ou não de alguns produtos na embalagem, aumento ou diminuição de algum tipo de imposto de importação ou modificação da demanda do cliente.

Paciência

Negociações internacionais podem ser muito turbulentas. O cliente pode estar a poucos passos de fechar um contrato com você quando descobre alguma falha em seu produto ou encontra um produto semelhante em alguma empresa concorrente. É necessário ter paciência e conseguir lidar em situações de pressão. Assim como clientes nacionais, os internacionais vão fazer o possível para conseguir o produto que necessitam com o preço abaixo do que você quer vender. Tenha calma e paciência, irritação e mau humor podem tornar as negociações ainda mais complicadas.

O que procurar na formação para Comércio Exterior

Além de características e habilidades o trader deve ter, como paixão por conhecimento de outras culturas, fluência em pelo menos mais um idioma (o inglês é fundamental para negociações) um formação para Comércio Exterior precisa contemplar conhecimento teórico e prático nas seguintes áreas:

  • Etapas da Negociação – Aprender quais os diferenciais na hora de atrair clientes, negociar preço e finalização da venda que farão o cliente optar pelo seu produto ou serviço.
  • Preparação – É primeira fase de uma negociação, quando o trader conhece seu futuro mercado consumidor e se prepara para atender suas demandas.
  • Construção de um Relacionamento – É necessário algum tempo para que haja a criação de uma confiança mútua entre os negociadores. É preciso saber como construir essa confiança.
  • Persuasão – Deve-se conseguir convencer o cliente a fazer a compra.

Suas oportunidades no mercado de trabalho aumentam, além disso, a empresa tem a possibilidade de contar com uma pessoa com as características descritas anteriormente. O mundo globalizado ampliou as áreas de importação e exportação e por isso, também foi ampliada a geração de empregos nesse setor.

E você, ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários.