Antes de embarcar de vez na arquitetura paisagística, fique por dentro das disciplinas e dos conhecimentos oferecidos pelos cursos de pós-graduação.

A arquitetura paisagística demanda diferentes conhecimentos técnicos e teóricos. Entender conceitos não é suficiente para se tornar um profissional competente e de sucesso nesse nicho de mercado.

Para a realização de projetos de arquitetura que envolvem paisagismo, é preciso ter também certos conhecimentos ligados à ciência, como aqueles relacionados a topografia e vegetação.

Se você pensa em fazer uma pós-graduação na área, saiba antes o que você irá estudar e aprender durante o curso!

História do paisagismo

Como em qualquer área do conhecimento, é essencial para o estudante do curso de arquitetura paisagística conhecer as origens e a história da profissão. Por isso, essa é uma das disciplinas comumente oferecidas.

Os alunos estudam os principais acontecimentos da área, desde o mundo antigo até o atual, sempre fazendo uma reflexão sobre as circunstâncias políticas, sociais e econômicas de cada período histórico.

Áreas de interesse social

Entre os lugares onde o arquiteto paisagista desenvolve suas atividades estão aqueles de interesse social. Nada mais são que áreas urbanas nas quais predominam a precariedade não apenas habitacional, como de infraestrutura e serviços.

Os profissionais que desejam atuar nesse nicho devem estar prontos para lidar com essas questões. Além disso, os cursos de arquitetura paisagística ensinam como criar projetos em áreas de interesse social, incluindo desenhos, maquetes, vegetação específica e detalhes construtivos.

Botânica aplicada à arquitetura paisagística

Já que os profissionais terão que trabalhar fortemente a vegetação em seus projetos de arquitetura paisagística, eles precisam ter o mínimo de conhecimento sobre botânica, taxonomia, sistemas de classificação e paisagens naturais.

Por conta da riqueza fitológica do nosso planeta, o curso fornece ao aluno, principalmente, os conhecimentos necessários em relação à vegetação brasileira.

Paisagem e meio ambiente 

Os conhecimentos ligados à ciência não param por aí. Isso porque os arquitetos paisagistas também precisam estudar mais amplamente os ecossistemas e biomas brasileiros.

Esses conteúdos são geralmente reunidos em uma disciplina que engloba não apenas as características fisionômicas e ambientais dos diferentes biomas, como também aspectos culturais e associativos.

Recuperação de áreas degradadas

Atualmente, é bastante comum nos depararmos com áreas degradadas devido à acelerada urbanização das grandes cidades. Essa realidade colabora para o aumento da demanda de trabalhos de arquitetura paisagística.

Visando qualificar os profissionais para isso, o curso aborda as atuais tendências em recuperação ambiental e legislação pertinente, ensinando a fazer diagnósticos ambientais e criar planos e estratégias para a reabilitação dessas áreas.

Projeto de arquitetura paisagística

Sabendo dos diferentes contextos com os quais os profissionais terão que lidar, um curso de qualidade oferece disciplinas que tratem de projetos em micro, média e grande escala.

Os alunos aprendem a fazer desenhos e maquetes, detalhes construtivos e vegetação específica para projetos em área comercial, residencial, parques, ruas e praças.

Representação gráfica

Saber representar graficamente os projetos é uma habilidade essencial. Afinal de contas, é uma tarefa que faz parte das atribuições dos arquitetos paisagistas, não importa em que tipo de espaço o trabalho será desenvolvido.

Para isso, é preciso conhecer tanto as técnicas de criação e observação quanto saber fazer desenhos que serão aplicados aos diferentes espaços, sejam eles urbanos ou não.

Tópicos atuais em arquitetura paisagística

É importante tratar sobre o que é feito não apenas em território brasileiro. É por isso que os estudantes do curso precisam aprender sobre teorias, conceitos e técnicas que são usadas pelo paisagismo contemporâneo mundial.

Topografia aplicada ao paisagismo

Todo projeto de arquitetura exige um levantamento topográfico do terreno para que seja executado com sucesso, visando evitar problemas e erros na hora de ser colocado em prática.

Portanto, o curso também fornece conhecimentos sobre interpretação de plantas topográficas, movimentação da terra, platôs e traçados viários. Eles são fundamentais para tornar os alunos capazes de fazer uma descrição exata das dimensões e dos desníveis de uma área, garantindo o sucesso dos projetos.

Ficou com vontade de saber mais sobre a área de arquitetura paisagística? Então, que tal conhecer o curso oferecido pela Unisul?