O curso de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial forma profissionais aptos a contribuir para o desenvolvimento dos processos industriais. O gestor promove melhorias e se antecipa aos problemas que possam surgir, oferecendo soluções.

Acontece que nem todo mundo compreende como é que funciona o trabalho desse profissional. Pensando nisso, resolvemos esclarecer alguns dos principais mitos sobre o gestor da produção industrial. Confira a seguir!

1) O gestor em produção industrial não se preocupa com a segurança do trabalho

Algumas pessoas têm a ideia de que essa área é um problema apenas do funcionário especializado em segurança do trabalho, o que é um grande erro. Embora seja responsável por desenvolver projetos e outras ações sistêmicas, é indispensável que o gestor da produção industrial leve em consideração a segurança dos funcionários. Para isso, deve conhecer as normas de segurança do trabalho e saber como aplica-las, cuidando para que essas regras sejam respeitadas dentro da empresa.

2) O profissional formado na área não pode trabalhar na administração ou no setor financeiro

Existe a noção equivocada de que o gestor deva atuar diretamente com os processos industriais, não podendo exercer uma atividade administrativa, por exemplo. Na realidade, o curso de gestão da produção industrial forma um profissional capacitado para atuar nas áreas administrativa e financeira, além da área de criação. Entre outras coisas, o gestor deve saber como analisar a viabilidade econômica dos seus projetos, além de mostrar conhecimentos em áreas como marketing, vendas, e administração de pessoas.

3) Essa profissão não exige conhecimentos sobre tecnologia

As novas tecnologias são grandes aliadas no desenvolvimento da produção industrial. A área de Tecnologia da Informação, por exemplo, tem um grande impacto dentro das empresas. Por isso mesmo, o gestor deve estar sempre atento aos avanços tecnológicos. É preciso ter conhecimento a respeito das inovações para ser capaz de incorporar as novas tecnologias ao seu empreendimento.

4) Para o gestor, a empresa é mais importante que o meio ambiente

Esse é mais um erro comum. Como o profissional tem que lidar com a atividade industrial, trabalhando para aumentar seus níveis de produção, há quem pense que ele pode deixar de lado os problemas do meio ambiente. Ao contrário, o domínio sobre a gestão ambiental é um requisito muito importante para atuação desse gestor. É preciso que ele saiba como promover o desenvolvimento industrial avaliando os impactos para o meio ambiente – até mesmo por causa das leis que regulam essas atividades.

5) Como é um curso para tecnólogo, a prática é mais relevante que a teoria

Já essa é uma ideia recorrente sobre os cursos tecnológicos. Recorrente e equivocada. Ao longo da sua carreira, o gestor sempre vai precisar alinhar a sua prática com o que ele aprendeu na teoria, antes de tomar as decisões. O que define um bom profissional é justamente essa capacidade de fazer uma articulação entre os dois tipos de conhecimento, prático e teórico.

6) Um gestor da produção industrial não precisa saber lidar com pessoas

Mais uma vez, é preciso lembrar que a atuação do gestor da produção industrial não está ligada apenas aos processos mecânicos da organização. No seu dia a dia, o gestor vai ter sim contato com os funcionários. Para capacitar o profissional a lidar com os colaboradores, o curso procura desenvolver a habilidade de trabalhar em equipe, valorizando a comunicação e a negociação no ambiente de trabalho.

7) Depois de fazer esse curso, é preciso abrir o seu próprio empreendimento industrial

Nada impede que o gestor formado comece o seu próprio empreendimento, e essa certamente é uma das possibilidades de trabalho que ele vai encontrar. Por outro lado, existem opções diferentes para esse profissional. Além de ser contratado por uma empresa já estabelecida no mercado, ele também pode prestar consultoria às empresas e se dedicar a pesquisas nessa área.